A gigante automobilística alemã BMW anunciou o lançamento da produção em uma nova fábrica na China, que custou 15 bilhões de yuans (US$ 2,2 bilhões). O empreendimento permitirá à empresa aumentar a produção de veículos elétricos.

Fonte da imagem: bmw.com.cn

A fábrica de Lydia, localizada na cidade de Shenyang (província de Liaoning no nordeste do país), tornou-se a terceira fábrica de produção da BMW na China. Isso permitirá que a marca bávara aumente a produção de carros no maior mercado do mundo para 830.000 unidades. Para comparação, em 2021, 700.000 carros saíram da linha de montagem. De acordo com a empresa, as linhas de produção são projetadas de forma a ajustar com flexibilidade a produção de veículos elétricos de acordo com a demanda do mercado.

O sedã i3 totalmente elétrico será o primeiro a sair da linha na fábrica de Lydia, e a BMW aumentará o número de modelos de veículos elétricos para 13 no próximo ano. O assunto é especialmente relevante na China, onde o mercado de veículos elétricos é em um ritmo sem precedentes: em apenas um ano, as vendas mais que dobraram. O mercado chinês de veículos elétricos é dominado pela Tesla e marcas locais como BYD, enquanto os reis da era ICE, como General Motors e Volkswagen, estão ficando para trás.

Nos primeiros 5 meses de 2022, quase um quarto de todos os carros vendidos eram elétricos, de acordo com a Associação de Fabricantes de Automóveis da China. A BMW vendeu 208.507 veículos na China no primeiro trimestre, uma queda de 9,2% em relação ao ano anterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.