Intel acusado de violação de patente FinFET na China

A tecnologia de transistor FinFET tem sido fundamental para os processadores Intel desde 2011 e é usada em praticamente todas as instâncias que a empresa vende. Desde 2018, no entanto, a Intel está envolvida em um litígio de violação de patente na China. Um laboratório de pesquisa do governo afirma que o fabricante americano está infringindo sua patente FinFET.

Fonte: tomshardware.com

O Instituto de Microeletrônica da Academia Chinesa de Ciências (IMECAS) moveu uma ação contra a Intel no Supremo Tribunal Popular da RPC em Pequim em 2018, buscando indenização de 200 milhões de yuans (aproximadamente US $ 31 milhões), bem como custas judiciais. O autor também está buscando a proibição da venda de processadores da série Intel Core usados ​​em produtos de consumo – pelo menos até que um acordo de licenciamento seja alcançado.

Em defesa de sua posição, a Intel tentou várias vezes invalidar a patente, mas já a sexta audiência na Comissão de Reexame de Patentes da China terminou em recusa. Isso foi precedido por uma longa série de tentativas de transferir o caso de uma autoridade chinesa para um Escritório de Patentes e Marcas dos EUA, supostamente mais amigável para as empresas. No entanto, o departamento dos EUA se recusou a ouvir o caso, deixando-o para seus colegas chineses.

A Intel começou a usar a tecnologia FinFET com o lançamento da família de processadores Ivy Bridge de 22 nm em 2011 e não abandonou a decisão até hoje. O Instituto IMECAS tentou fortalecer sua posição, acusando a Intel de violação de mais duas patentes: a primeira afeta a produção e venda de processadores Core i3, a segunda está relacionada à tecnologia de transistores de efeito de campo. Esses casos também estão sujeitos a liminares e reembolso de custas.

A Intel tentará todas as oportunidades para resolver a questão, sendo um ator experiente em direito de patentes, mas o IMECAS leva vantagem na medida em que luta em seu território. Além disso, o instituto registrou mais de 5.000 patentes na China e 500 em outros países, com 1.505 patentes relacionadas à tecnologia de circuitos integrados – a organização também tem ampla experiência em direito de patentes. Contestar a validade de uma patente é um dos primeiros passos para a solução de uma disputa antes do julgamento, mas se todas as tentativas forem esgotadas, as partes terão que se reunir em tribunal.

O departamento jurídico da Intel está constantemente em movimento, já que a empresa está envolvida em uma série de ações judiciais com a VLSI, que também entrou com processos de violação de patente. O autor já garantiu uma recuperação de US $ 2,18 bilhões, mas perdeu em outro processo. Toda a série de processos pode custar à Intel até US $ 11 bilhões se o fabricante perder em todos os estados. Além disso, a empresa tem que responder a outras reclamações, incluindo aquelas relacionadas às vulnerabilidades Meltdown e Spectre, bem como ao atraso na transição para a tecnologia de processo de 7nm.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *