Geólogos descobriram um mineral em um diamante que não esperavam encontrar na natureza da Terra

Um diamante de Botswana caiu nas mãos de geólogos da Universidade de Nevada em Las Vegas, onde encontraram inclusões de um mineral que não havia sido encontrado anteriormente em condições naturais. Além do mais, os cientistas nem esperavam encontrá-lo, já que esse mineral em particular se forma em temperaturas e pressões muito altas nas profundezas do manto da Terra. Todas as tentativas de elevar o mineral à superfície resultariam em sua desintegração. Mas aconteceu e se tornou um pequeno milagre.

Fonte da imagem: Aaron Celestian, Museu de História Natural do Condado de Los Angeles

Apenas um diamante pode resistir a uma subida de profundidades de 660 km e mais. O diamante tornou-se uma espécie de cofre, o que trouxe à superfície uma descoberta inesperada – o silicato de cálcio (CaSiO3) com uma estrutura cristalina cúbica única. O silicato de cálcio com outras formas de estrutura cristalina, como volastonita e brayita, são bastante comuns na natureza, mas a versão com maior singonia (cúbica) foi obtida apenas em laboratório sob uma pressão de 20 GPa e desapareceu assim que a pressão foi removido.

Diamond ajudou a estudar o silicato de cálcio natural em laboratório. As inclusões do mineral, que foi batizado de “Davemaoíta” em homenagem ao cientista mineralogista Ho-Kwang “Dave” Mao, eram representadas por três grãos com tamanhos de cinco a dez mícrons. Primeiramente, as inclusões foram estudadas em uma máquina de raios-X e, em seguida, um orifício foi feito no diamante com um laser e o mineral foi evaporado em um espectrômetro de massa. O dispositivo mostrou uma presença significativa de potássio no mineral, uma pequena presença de elementos radioativos tório e urânio.

A descoberta do davemaoita permite esclarecer os processos que ocorrem no manto terrestre. Em particular, sua conexão com elementos radioativos e sua influência no aquecimento das camadas internas de nosso planeta. Espera-se que nas profundezas do interior da Terra, no manto inferior, de 5% a 7% do deivmaoíte ocorra em camadas ou aglomerados. Agora os cientistas sabem como e onde encontrá-lo. Isso significa que novas descobertas virão.

avalanche

Postagens recentes

Renault, Nissan e Mitsubishi investirão US$ 23 bilhões em veículos elétricos

A aliança franco-japonesa das montadoras Renault, Nissan Motor e Mitsubishi Motors planeja triplicar o investimento…

2 horas atrás

Boeing investe US$ 450 milhões para desenvolver táxi aéreo elétrico

A empresa de táxi voador elétrico Wisk Aero levantou US$ 450 milhões da empresa aeroespacial…

2 horas atrás

O erro de troca do OpenSea NFT permitiu que tokens raros fossem comprados mais baratos: as perdas excedem um milhão de dólares

Um bug no OpenSea, um popular mercado de NFT, permitiu que os usuários comprassem NFTs…

2 horas atrás

Activision Blizzard, Ubisoft, Sega, LucasArts e Sierra lançam o estúdio New Tales para desenvolver e publicar jogos

Um grupo de ex-alunos de empresas renomadas do setor, como Activision Blizzard, Ubisoft, Sega, LucasArts…

3 horas atrás