O Climate Neutral Data Center Pact (CNDCP), que reúne 90% dos operadores de data centers europeus, propôs reduzir voluntariamente o consumo de água para 400 ml por kWh até 2040 e alcançar a neutralidade de carbono bem antes de 2050. A meta correspondente já foi definida pela UE, mas as operadoras pretendem alcançá-la sem coerção legislativa e antes do previsto, informa a Data Center Dynamics.

Embora o uso da água possa ter um impacto significativo no meio ambiente, esse fator é muitas vezes subestimado, considerando apenas o consumo de energia. Ao mesmo tempo, muitos data centers usam ativamente água para resfriar os equipamentos, o que reduz o consumo da mesma energia, mas o custo do próprio líquido aumenta, o que é crítico para algumas regiões.

Fonte da imagem: Christian Lue/unsplash.com

O grupo CNDCP foi formado em 2021 com a intenção de alcançar a neutralidade carbónica nos data centers europeus até 2030, bem como dar uma resposta digna a outros desafios ambientais, incluindo a redução do consumo de água. Para avaliar a eficiência do uso da água, é utilizado o coeficiente WUE, que reflete o consumo de água para cada quilowatt-hora de eletricidade consumida. Por exemplo, um estudo de 2016 descobriu que o WUE para data centers nos EUA naquela época tinha uma média de 1,8 l/kWh.

As metas são estabelecidas levando em consideração o ciclo de vida dos sistemas de refrigeração existentes, uma vez que sua substituição em massa imediata pode causar mais danos do que benefícios devido aos danos ambientais durante a produção dos próprios sistemas. Por isso, o CNDCP afirmou que todos os 74 operadores de data centers participantes do pacto atingirão consumos não superiores a 400 ml/kWh somente até 2040. Este indicador foi derivado levando em consideração a diferença de tecnologias, condições climáticas e outras características de determinados data centers.

Fonte da imagem: Google

Alguns participantes do mercado já anunciaram sua intenção de alcançar um balanço hídrico positivo para seus data centers – os data centers fornecerão mais água limpa do que consomem. Portanto, Meta* e Microsoft planejam atingir essa meta até 2030. Este último também começou a instalar estações de tratamento de águas residuais em data centers. Mas o Google se destacou pelo fato de tentar de todas as maneiras ocultar o consumo de água de seus data centers, até mesmo das autoridades.

Além de limitar o consumo de água, os signatários do CNDCP propuseram outras metas para os data centers. Por exemplo, dois grupos de trabalho já foram formados para preparar a transição para uma “economia circular” com a reciclagem de materiais e o processamento de diversos recursos. Em privado, uma iniciativa semelhante foi desenvolvida pela Microsoft durante vários anos como parte do projeto Circular Center.

* Está incluído na lista de associações públicas e organizações religiosas em relação às quais o tribunal tomou uma decisão final para liquidar ou proibir atividades com base na Lei Federal nº 114-FZ de 25 de julho de 2002 “Sobre o combate ao extremismo atividade”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.