Astrônomos descobriram um planeta orbitando uma estrela morta – será Júpiter em 5 bilhões de anos

Os astrônomos descobriram um exoplaneta do tamanho de Júpiter orbitando uma anã branca – uma estrela morta que já se parecia com o nosso sol. O sistema estelar a 6.500 anos-luz da Terra representa o que espera o sistema solar em cerca de 5 bilhões de anos.

Fonte: engadget.com

Quando uma anã amarela como o Sol fica sem hidrogênio e hélio, ela se expande até o tamanho de uma gigante vermelha e engolfa os planetas nas órbitas mais próximas – provavelmente Mercúrio, Vênus, Terra e Marte irão desaparecer. A estrela então colapsará em uma anã branca – uma estrela fraca do tamanho da Terra, mas muito mais densa, com cerca de metade de sua massa original. O destino dos planetas nas órbitas mais próximas é uma conclusão precipitada, mas os cientistas não estão completamente certos do que acontecerá com corpos em órbitas distantes, como Júpiter e Saturno.

Os astrônomos do Observatório Keck no Havaí foram capazes de localizar um exoplaneta cerca de 1,4 vezes o tamanho de Júpiter com o telescópio Keck II. Ele orbita uma fraca anã branca com cerca de 60% do tamanho do Sol em uma órbita comparável à de Júpiter. Neste sistema estelar, outro planeta foi descoberto, cuja órbita fica mais próxima da estrela.

A descoberta indica que planetas com órbitas largas são provavelmente mais comuns, pois são capazes de sobreviver à morte de uma estrela. David Bennett, um dos autores do estudo, disse que após a morte do Sol, a Terra estará condenada de qualquer maneira. No entanto, se as pessoas encontrarem uma maneira de se deslocar para uma das luas de Júpiter ou Saturno, a humanidade terá a chance de permanecer no sistema solar. Nesse caso, outro problema aparecerá: o calor da anã branca não será mais suficiente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *